Browse By

CS:GO – O que esperar do Ásia Minor – Boston 2018?

O primeiro dos Minors para o ELEAGUE Major Boston 2018, tem início nessa quarta-feira (25), em Seul na Coreia do Sul. O minor da Ásia foi o único que não contou com classificatório online, o que foi recebido com bastante tristeza pelo cenário do continente.

Com duas vagas para o classificatório principal, é hora de sabermos quais são as duas equipes do outro lado do mundo que ainda terão chances de chegar a um major da categoria.

Grupo A Grupo B
AustraliaRenegades ChinaTyLoo
AustraliaKings ChinaFlash
KoreaMVP PK SingaporeB.O.O.T-d[S]
MongoliaTheMongolz AustraliaTainted Minds

GRUPO A

Dominância “australiana”, e trio da morte.

O grupo A da seletiva conta com a australiana/norte-americana Renegades, ao mesmo tempo que traz The MongolZ da Mongólia, Kings da Austrália e MVP PK da Coreia do Sul. É de fácil previsão que a Renegades domine o grupo e saia com duas vitórias da fase inicial, mas ao mesmo tempo é complicado cravarmos quem será a segunda equipe da chave.

Os mongóis sempre chegam bem nos minors, passando aos playoffs e ficando perto da vaga, Enkhtaivan “Machinegun” Lkhagva é um dos jogadores diferenciados do continente, e literalmente “pisa” nos adversários em presenciais. O veterano jogador tem tarefa difícil a frente da MongolZ, já que logo na estreia tem um embate complicado contra a própria Renegades.

Enquanto isso, uma equipe em ascensão pode ser vista no grupo A. A Kings foi surpreendente na eXTREMESLAND Asia Finals 2017, com Simon “Sico” Williams sendo o jogador com maior rating do torneio, cerca de 1.47. Muito pode se falar sobre o caminho que a equipe teve no evento, não tendo um grande confronto e caindo logo que encontrou a primeira equipe mais profissionalizada, a chinesa Flash Gaming, que foi campeã do torneio.

Os donos da casa, MVP PK também não ficam para trás. Contando com veteranos jogadores do Counter Strike 1.6, os sul-coreanos vem num bom momento, após a dissolução de MVP Project, e ter adicionado a jovem estrela Hae-Sung “HSK” Kim ao quinteto. O AWP deu um ar de misto de experiência, e contribuiu de grande na alavancada da equipe no cenário local. A julgar pelo recente, seria a segunda equipe a se classificar no grupo A, mas tudo depende dos picks e bans da MD3 de decisão, já que provável nenhuma das equipes vença o confronto direto contra a Renegades.

GRUPO B

A crescente chinesa.

O grupo B parece estar definido mesmo antes da competição. A TyLoo é a grande representante do continente no planeta. Após a adição do ucraniano Vladyslav “bondik” Nechyporchuk, os chineses ganharam um jeitão um pouco mais cadenciado, principalmente quando se precisa no lado CT. É justo dizer que isso era um dos grandes problemas da TyLoo, e do Counter Strike chinês como um todo, o lado terrorista é impressionante, quando se precisa entrar na mira e ser super agressivo não respeitando nem mesmo as smokes, mas quando precisa de disciplina tática e calma, pecam demais. A ‘nova equipe’ foi vista em atuação no Wildcard da EPICENTER, onde fez uma boa série contra a toda poderosa FaZe Clan.

Além disso tudo, um nome que pode fazer o que quiser contra qualquer equipe do torneio é claro: Hansel “BnTeT” Ferdinand, o indonésio mesmo contra a FaZe Clan foi o destaque da partida somando 44 eliminações em dois mapas.

BnTeT é o jogador mais diferenciado do continente | Foto: EPICENTER

Tendo em vista que muito provavelmente a TyLoo fique com a primeira vaga, logo após vemos a Flash Gaming aparecendo como segunda força do grupo B. A também chinesa vem de uma importante conquista, a já citada eXTREMESLAND Asia Finals 2017. O time continua bem encaixado, mas conta com a surpreendente fase de QiFang “Karsa” Su, ex-coach da TyLoo e o que seria a “mente tática” da equipe, algo como um Markus “pronax” Wallsten chinês, dentro dos limites de comparação. Levando em conta o comparativo, é fácil descobrir o motivo da surpresa com boa fase atual e o número elevado de eliminações por partida.

Não parecer ser o momento da B.O.O.T-d[S]. Os singapurenses não tiveram um ótimo desempenho nos últimos torneios presenciais disputados, diferente da parte online onde conseguem ter um desempenho bacana. Na DreamHack Masters Malmo, por exemplo, somaram apenas quatro rounds marcados em duas partidas, contra SK e Cloud 9.

Quem pode quebrar todo o prognóstico no grupo B, é a Tainted Minds, a equipe da Oceania teve umas mudanças recentes e conta como veterano Yaman “yam” Ergenekon, ex-Renegades. Porém, essas mesmas mudanças que trouxeram esperanças, podem trazer problema no comportamento do time durante os jogos. A TM se prende a muitos jogos locais, não tendo partidas contra adversários fora da Oceania, isso pode ser outro problema a se colocar na ponta do lápis na hora das apostas do grupo.

Para saber os horários da competição clique aqui.

Para mais artigos e notícias sobre eSports curta nossa página no Facebook.

Gosta do nosso trabalho? Considere participar de nossa campanha para custear o site, veja informações aqui.