Browse By

CS:GO – Com apoio da torcida local, Liquid confirma boa fase vence SK e garante vaga na final da ESL New York

A primeira semifinal da ESL One New York 2017 foi marcado pelo confronto entre SK Gaming e Team Liquid. Na MD3 a Liquid levou o primeiro mapa de forma apertada no overtime, na sequência um verdadeiro espanco dos brasileiros na Overpass empatou a série, mas no mapa decisivo, os norte-americanos foram melhores, e levaram a série, garantindo vaga na grande final do torneio.

Os norte-americanos agora aguardam o vencedor de FaZe e Cloud 9, para disputar a decisiva amanhã às 15h.

SK 1 x 2 Liquid

Inferno (18 x 22)

Começando de TR, a SK optou por começar o jogo com um avanço rápido no bombsite A pela região do tapete; no entanto, o round foi incrivelmente frustrado com belíssimas eliminações da Liquid. Os dois rounds seguintes também foram dos norte-americanos assim como o primeiro armado, mas nos 3 últimos rounds os brasileiros haviam conseguido o plant da C4, isso foi essencial para conseguirem uma boa economia e encaixarem uma entrada no round 5, vencendo seu primeiro round. O problema, é que a SK não conseguiu encaixar uma sequência, e ao perderem o round seguinte o placar estava em 1 x 5.

A segunda vitória brasileira veio logo na sequência, e isso foi o suficiente para fazer os norte-americanos entrarem no eco devido a frágil economia contra-terrorista, o que teoricamente proporcionaria uma oportunidade da SK encostar no placar… teoricamente. Josh “jdm64” Marzano conseguiu 2 eliminações muito importantes munido apenas de Five-Seven, e isso foi crucial para complicar a situação brasileira ainda mais na partida, já que a Liquid logo depois conseguia os 8 rounds necessários para a a vitória do half, e para evitar maiores complicações a SK pediu um pause tático.

O pause não surtiu efeito e os jogadores da Liquid sentiam sua superioridade na partida, e em alguns rounds eles optaram por avanços completamente absurdos, e esses avanços funcionavam, quebrando todo o posicionamento tático brasileiro e ampliando ainda mais o marcador. A situação só não complicou ainda mais devido a um excelente 2v4 vencido por Fernando “Fer” Alvarenga e Marcelo “Coldzera” David no pós plant, e pela primeira vez na partida a SK conseguia vencer 2 rounds na sequência, no entanto, já eram os 2 últimos rounds da metade. Placar do half: 4 x 11.

O segundo pistol também foi dos contra-terroristas, mas dessa vez esse lado era defendido pelos brasileiros (com direito a 3k de Coldzera, que estava muito bem na partida). Os dois antiecos também foram brasileiros, sendo todos esses rounds sem sofrerem grande pressão por parte dos adversários, e a diferença já estava diminuída para 7 x 11. No primeiro armado, a SK optou por manter as 5 UMPs do antieco, e esse setup foi facilmente inibido pela Liquid, mas logo no round seguinte, Coldzera brilhou (novamente) e com um ace no bomb A frustrou completamente a Liquid e trouxe seu time de volta a partida.

A defesa no Bomb B era visivelmente o problema dos brasileiros no lado CT, e os norte-americanos logo em seguida conseguiram seu 13º ponto. A trocação de rounds continuava, e a SK venceu em seguida, mas dessa vez quebrando a economia do Liquid e assim conseguindo (finalmente) emplacar uma sequência e encostar no marcador, que estava em 11 x 13. Outra trocação de rounds aconteceu em seguida, e o jogo ficou ainda mais emocionante na reta final, forçando os norte-americanos a pedir um pause tático com medo da diferença que conquistaram no decorrer da partida fosse ainda mais diminuída.

O pause não surtiu efeito, e o pesadelo norte-americano aconteceu. Com o placar em 13 x 14 e a Liquid no eco, a SK conseguiu o empate na partida. No entanto, o Match Point foi conquistado pelos norte-americanos, mas os brasileiros não desistiriam, e o jogo ia para o Overtime. O primeiro half do OT terminou em 17 x 16 com 2 belíssimos rounds da Liquid.  Já no segundo, os brasileiros começaram vencendo, mas novamente os norte-americanos conseguiam o Match Point, e dessa vez parecia que alcançariam a vitória… eles só não contavam com… COLDZERA! Munido de AWP e com o HP no vermelho o brasileiro conseguiu vencer um pós plant 1v2 com incrível atuação! A SK estava viva e teríamos outro overtime.

O segundo OT teve uma metade perfeita da Liquid, então os brasileiros precisavam da perfeição na segunda metade, mas não foi isso o que aconteceu e os norte-americanos conseguiram vencer o mapa. Placar final: 18 x 22.

16 x 5 (Overpass)

Na Overpass a SK Gaming de terrorista começou vencendo o pistol e garantindo os antiecos, abrindo 3 a 0. Porém, o primeiro armado foi conquistado pela Team Liquid, mas na sequência, os brasileiros voltaram a pontuar, quebrando o ímpeto e o financeiro adversário e conseguindo abrir 7 a 1, jogando os norte-americanos para um forçado. Sem ter muita dificuldade, a SK abria larga vantagem, enquanto a Liquid com vários problemas do lado defensivo, não conseguia nem mesmo pontuar de forma marginal.

Com entradas bem trabalhadas a SK fechou a metade em 11 a 4.

Vencendo o pistol da segunda metade, os brasileiros ficaram com uma mão na vitória, a Liquid chegou a pontuar, mas logo quebrou o econômico, ficando fácil ao enfrentar um forçado na rodada final, e encaixar o expressivo 16 a 5.

14 x 16 (Cobblestone)

Na Cobblestone a Liquid começou melhor, de CT garantiram o pistol round após os brasileiros se enrolarem na entrada, sobrando apenas Gabriel “Fallen” Toledo no 1v4, que de nada conseguiu fazer. No forçado a SK devolveu empatando. Porém, a Liquid trouxe de volta a vantagem. Essa “sinuca” de rounds, continuou até o 2 a 2, após isso os norte-americanos abriram vantagem de três, sem que os brasucas conseguissem encaixar suas entradas. Quando Fernando “fer” Alvarenga conseguiu desempenhar bem seu papel, infiltrado em meio as defesas adversárias, foi quando saiu o terceiro da SK, mas logo após caiu numa entrada enrolada, acabando o tempo (3 x 6).

Os nossos representantes ainda tentaram se recuperar, mas sucumbiram a vantagem que os adversários haviam aberto. Ao fim da primeira metade 7 x 8.

Na segunda parte quem começou melhor foi a SK, vencendo o pistol sem muitos problemas, mas tendo complicações no forçado da sequência, onde Epitácio “Taco” Pessoa teve de impedir o clutch round de Russel “Twistzz” Van Dulken, fazendo com que os brasileiros passassem a frente em 9 a 8. Ainda levariam o outro antieco, marcando dez pontos.

Logo no primeiro armado a SK parou, a Liquid veio com fome de jogo e com entradas cirúrgicas, com ênfase no bomb B. Nick “nitr0” Cannella trabalhava bem na parte de frente, enquanto que Josh “jdm64” Marzano era fundamental nas eliminações de entrada. Mesmo não armada, a SK conseguia estragar com os utilitários da Liquid, mas o décimo primeiro ponto brasuca só veio no 11 x 14.

Para se aproveitar da vantagem construída, o coach brasileiro da equipe da Liquid, Wilton “zews” Prado, pediu um pause tático, sendo efetivo com a conquista do décimo quinto. Porém, na sequência brilhou a estrela de Fernando “Fer” Alvarenga, que de CZ eliminou dois e ainda garantiu de AWP o clutch round, dando sobrevida a sua equipe (12 x 15). Novamente, Zews chamaria um pause tático. A ideia do comandando dos norte-americanos, não foi de fato efetiva de imediato, com uma entrada para a região do fundo, novamente Fer apareceu, eliminando dois adversários, facilitando a conquista da rodada, a Liquid veio então para um econômico, os brasucas não tiveram problemas em fazer o décimo quarto.

Porém, na última rodada uma entrada destrutiva de Peter “stanislaw” Jarguz eliminando dois no bombsite B, fez com que a SK sucumbisse e caísse diante do 14 x 16.

Para os horários e resultados da ESL One New York 2017 clique aqui.

Participe do nosso sorteio do mês de setembro.

Para mais artigos e notícias sobre eSports curta nossa página no Facebook.

Gosta do nosso trabalho? Considere participar de nossa campanha para custear o site, veja informações aqui.