Browse By

CS:GO – PGL Major Krakow 2017 – Resumo [DIA 4]

O quarto e último dia da primeira fase do PGL Major Krakow 2017 de CS:GO se encerrou com ótimas notícias para o cenário brasileiro. SK Gaming e Immortals garantiram vaga nos playoffs, e disputarão, ambas, na sexta-feira (21), os seus jogos.

mousesports 11 x 16 Cloud 9

  • Mapa: Train
  • Destaque: Timothy “autimatic” Ta

De CT a mousesports venceu o pistol com dupla eliminação de Chris “chrisJ” de Jong, porém o forçado com TEC-9 na sequência foi efetivo pela Cloud 9, e o empate veio. O jogo então ficou bastante intenso, com várias mudanças de líderes do placar. Quando uma das equipes vencia, a outra não deixava com que a vantagem crescesse e logo as economias não se desenvolviam.

No fim da metade a mouz encontrou uma forma de bloquear toda entrada dos norte-americanos, conseguindo abrir cinco rounds de vantagem e fechando em 8 x 7, com Denis “denis” Howell sendo o grande destaque.

Na segunda metade novamente os europeus venceram o pistol, dessa vez até levaram os antiecos, antes de perder o primeiro armado, após tentar uma entrada para o bombsite A. Tendo que vir para uma rodada econômica, a mouseports caiu novamente, antes de voltar para mais um armado, após o bom plant no bombsite A, apareceu Jake “Stewie2K” Yip para acabar com o afterplant europeu, dar a vitória para a Cloud 9 no round e quebrar a economia da mouz. Na sequência ficou tranquilo para conseguir o empate em 11 x 11.

Nas rodadas finais apareceu então Stewie2K novamente, primeiro conseguindo junto de autimatic um clutch para sua equipe passar a frente, e após isso garantir um 1v2 com rufus defuse.

A jogada acabou quebrando o psicológico da mousesports, que de nada conseguiu fazer com sua economia quebrada da sequência, fazendo com que a Cloud 9 fechasse em 16 x 11.

PENTA 13 x 16 FlipSid3

  • Mapa: Train
  • Destaque: Jan “wayLander” Rahkonen

A Penta venceu o pistol round pelo lado CT com um retake 2v5 com Paweł “innocent” Mocek e Jesse “zehN” Linjala. Garantiu também os antiecos, antes de cair no primeiro armado, quebrando a economia, o que fez a FlipSid3 empatar em 3 a 3.

A partir dai apenas o misto europeu jogou, a FlipSid3 não encaixou nenhuma entrada e os finlandeses da penta (zehN e suNny) garantiam com maestria round atrás de round. Já pelo lado da F3, o também finlandês Jan “wayLander” Rahkonen, parte essencial de toda a partida vencida pela equipe do CIS, não conseguia fazer sua parte, sendo quase um peso morto no quinteto. A Penta fechou o half em 11 x 04.

O pistol da segunda parte contou com uma entrada do misto europeu sem precisar eliminar ninguém e plantando a C4. O retake falho da FlipSid3 fez com que a Penta abrisse ainda mais vantagem no placar. Após isso um forçado completo da F3 foi recompensado com um ace de wayLander, que levou quatro de five seven, antes de fechar o highlight com uma eliminação de AK-47.

O lance bonito acordou a equipe, que ainda conseguiu outros dois rounds sem muito problema, com wayLander e Yegor “markeloff” Markelov fazendo dupla no bombsite B. Fazendo essa leitura, a Penta resolveu apostar no bombsite A, mas não contava com o mesmo wayLander sendo um monstro nos retakes e conseguindo vez após vez destruir o afterplant adversário.

A chave do sucesso estava mesmo em wayLander, que de apenas quatro eliminações foi para vinte e oito em quinze rounds. Levando sua equipe a virar a partida em 13 x 14. Sem qualquer reação e abatida, a PENTA caiu aos pés da F3 por 13 x 16.

Natus Vincere 12 x 16 fnatic

Foto: PGL

  • Mapa: Mirage
  • Destaque: Aleksandr “s1mple” Kostyliev

A Natus Vincere começou bem do lado CT, vencendo o pistol e garantindo os antiecos. Os suecos venceram o primeiro armado, no que parecia uma reação imediata, mas caíram diante de outros quatro rounds vencidos pelos ucranianos. Aleksandr “s1mple” Kostyliev era o grande destaque da partida, conseguindo por vezes colocar a Na’Vi na frente com eliminações rápidas e kills de entrada.

A fnatic só acordou depois que Robin “flusha” Rönnquist se obrigou a trazer o round de volta num quadkill 1v3 clutch. A partir dai o jogo se apresentou mais apertado, após algumas rodadas de recuperação por parte dos suecos, a Natus Vincere voltou a vencer, fazendo com que ambas as economias não fossem excelentes, trazendo o jogo para os últimos rounds do half com armas não muito boas. Ao fim 9 x 6 para os ucranianos.

Na segunda metade a estrela de Dennis “dennis” Edman, como sempre, brilhou no pistol round, precisando apenas de dois tiros de p2000 para acabar com os adversários. Mas na sequência a Na’Vi já venceu novamente e novamente veio troca de rounds pra cá e pra lá, com as economias a nível crítico. Robin “flusha” Rönnquist foi crescendo muito durante a partida, conseguindo por vezes trazer um round perdido, ou vencer um clutch com o tempo escasso. A Na’Vi ainda chegou a se enrolar em algumas rodadas, tentando fazer entradas no padrão SK Gaming de tempo.

Visivelmente abalada a Natus Vincere não conseguia trazer a partida novamente, após o 11 x 13, requisitou um pause tático, que de imediato não foi efetivo com Jesper “JW” Wecksell destruindo o jogo com um quadkill.

A Na’Vi ainda chegou a vencer mais um, mas ao fim a fnatic foi melhor e fechou em 12 x 16.

Astralis 16 x 06 G2

  • Mapa: Inferno
  • Destaque: Markus “Kjaerbye” Kjærbye

A G2 venceu o pistol pelo lado CT e ainda garantiu o antieco, já que em ambos os rounds teve plant da C4 por parte da Astralis, os dinamarqueses vieram para um armado, e eliminaram tranquilamente os jogadores adversários. Por outas quatro rodadas a Astralis venceu, abrindo larga vantagem no placar e na economia. Os franceses voltaram a pontuar quando Dan “apEX” Madesclaire vencendo o 1v1 contra Nicolai “device” Reedtz, no que todos achavam que seria a volta ao jogo para a G2, apareceu Andreas “Xyp9x” Højsleth no round seguinte para vencer um insano 1v3 e marcar o sétimo ponto.

Até o fim do half a Astralis foi dominante fechando em 10 a 05.

Nos primeiros três rounds da segunda metade que os dinamarqueses venceram, dois deles contou com tripla eliminação de Markus “Kjaerbye” Kjærbye, que deixou sua equipe bem perto da vitória, com 13 x 05 no placar. Após isso a G2 ainda conquistou um ponto, mas a Astralis mostrou solidez nos retakes restantes e conquistou a vitória por 16 x 06 e vaga nos playoffs do major.

North 16 x 14 Virtus.pro

Dinamarqueses seguem como legends (Foto: HLTV.org)

  • Mapa: Mirage
  • Destaque: Kristian ‘k0nfig‘ Wienecke

Jogando de contra-terrorista os donos da casa conseguiram fazer uma boa defesa no bombsite B, abrindo o placar no round pistol. A VP chegou a vencer o primeiro pistolete da North, mas no segundo falharam a defesa do bomb A e os dinamarqueses chegaram ao seu primeiro ponto na partida.

Com as duas equipes forçando os armamentos por vários rounds seguidos, a troca de rounds foi intensa. Mas, apostando nos avanços, a VP se deu melhor, venceu dois rounds consecutivos, quebrou a economia dinamarquesa e assumiu a frente do placar. Sem conseguir vencer um round para manter a economia, a North viu seu adversário abrir cinco pontos no placar.

Somente depois de pausar a partida, a North conseguiu se acertar e voltar a ganhar rounds. Apostando no bomb A, os dinamarqueses se aproveitavam da vantagem numérica nesse bomb para dominá-lo. Com isso, a vantagem que era de cinco caiu para um round.

Porém, nos rounds finais, a VP voltou a se acertar defensivamente e conseguiu fechar o half vencendo por 9 a 6.

Na virada de half a North garantiu o pistol round. E aproveitando a maior economia chegou ao empate da partida, antes do primeiro armado do half. Sem conseguir acertar suas entradas, a VP viu os adversários abrirem três pontos e ficar próximo da vitória.

A North chegou a vencer sete rounds seguidos e só depois a Virtus.pro conseguiu marcar seu primeiro ponto no lado terrorista. E veio graças a Filip ‘NEO‘ Kubski que fez um belo clutch 1vs2. Com esse clutch os poloneses acordaram e diminuiram a vantagem adversária para apenas um round.

A partida chegava aos últimos rounds com muita emoção, chegando a ficar 14 a 14. Quebrando a economia da Virtus.pro no round decisivo, a North fechou a partida em 16 a 14.

SK Gaming 16 x 09 Immortals

Derrotando compatriotas, SK chega as quartas de finais do Major (Foto: HLTV.org)

  • Mapa: Overpass
  • Destaque: João ‘felps‘ Vasconcellos

O duelo braasileiro começou com um round pistol bstante disputado. Jogande de contra-terrorista, a SK Gaming foi paciente ao esperar os players da Immortals invadirem o bombsite B para fazer as eliminações e abrir o placar. Depois a SK soube se aproveitar da vantagem econômica para abrir três a zero no placar.

No primeiro round armado, a Immortals repetiu a tática do pistol, invadiu o bomb B e fez um bom after plant para garantir seu primeiro ponto na partida. No round seguinte, a SK avançou, buscou as primeiras eliminações, e conseguiu quebrar a economia adversária. Porém, mesmo só com pistolas, a Immortals conseguiu punir os avanços da SK e venceu o round.

Com o adversário tendo que fazer dois rounds econômicos, a Immortals chegou ao empate da partida em quatro a quatro. Voltando aos armados, a Immortals tentou invadir o bombsite B, com pouquissímo tempo e com todo o adversário nele, assim perdeu mais um round e voltou para o eco.

Sem conseguir manter a economia regular, a Immortals perdeu cinco rounds consecutivos e foi obrigada a pausar a partida para acertar suas entradas. Até conseguiu vencer um round depois disso, mas a SK conseguiu fechar o half vencendo por 10 a 5.

No segundo pistol da partida, a SK tentou fazer um avanço rápido pelo bombsite B, mas foi parada por Ricardo ‘boltz‘ Prass, que fez um triple kill e garantiu a vitória da Immortals.

Depois as equipes começaram a fazer uma intensa troca de rounds econômicos. A equipe só com pistolas conseguia encurtar as distâncias para fazer as eliminações e vencer o round.

Somente depois de sete rounds, aconteceu o primeiro armado do segundo half. E a SK que conseguiu vencer com um bom avanço no bombsite A e um clutch de João ‘felps‘ Vasconcellos, chegando ao match point.

 

A Immortals conseguiu defender o primeiro match point da SK, forçando shotguns e metralhadoras. Porém na segunda oportunidade a SK fechou em 16 a 9.

fnatic 16 x 10 G2

fnatic segue como legends a mais de dois anos (Foto: HLTV.org)

  • Mapa: Overpass
  • Destaque: Olof ‘olofmeister‘ Kajbjer

O primeiro duelo decisivo começou acelerado. Logo no round pistol as equipes fizeram uma troca intensa de kills na ligação, sobrando apenas três players. A vantagem ficou para a fnatic, que, jogando de terrorista, venceu. Acelerado os segundo e terceiro round também foram para a fnatic antes do primeiro armado.

Sendo consistente, a fnatic conseguia segurar os avanços da G2 no after plant e garantiu seis a zero no placar. com isso, os franceses pausaram a partida para tentar acertar sua defesa. Além do pause tático, a partida ficou parada mais alguns minutos por problemas técnicos.

Na volta da parada, a G2 conseguiu segurar o rush dos suecos e conquistar seu primeiro ponto. Mas, ainda inconsistente, a G2 viu a fnatic abrir grande vantagem e fechar o half em 11 a 4.

Precisando fazer uma grande recuperação, os franceses conseguiram garantir o pistol round. Conseguiram garantir os econômicos da fnatic e diminuiram a vantagem para quatro rounds.

No primeiro armado, a fnatic conseguiu buscar a first kill, o que ajudou a garantir o round. Mas logo depois, a G2 quebrou a economia adversária e ganhou o round. Foram mais duas vitórias, diminuindo a vantagem para dois.

Sofrendo com a velocidade da G2, a fnatic mudou seu posicionamento e apostou no retake. Acabou dando certo, venceu três rounds consecutivos e chegou ao match point. Já no desespero, a G2 tentou fazer uma entrada no bomb B, sem sucesso, perdendo a partida por 16 a 10.

Virtus.pro 16 x 10 Cloud 9

  • Mapa: Train
  • Destaque: Jarosław “pashaBiceps” Jarząbkowski

A Virtus.pro de terrorista começou vencendo o pistol round com Paweł “byali’” Bieliński conseguindo três eliminações, os polacos ainda garantiram os antiecos abrindo 3 a 0. No primeiro armado os norte-americanos foram melhores, o que fez com que tivesse um pouco mais de tranquilidade para empatar em 3 a 3. A partir dai o jogo foi se tornando round a round com o placar a não se estender pra nenhum lado, até que Jordan “n0thing” Gilbert apareceu para brilhar, dando a sua equipe várias eliminações, abrindo espaço para rounds mais tranquilos para a Cloud 9. Após o 4 a 7, os poloneses acordaram variando um pouco mais as entradas e tentando encaixar um setup de dois AWPs. Foi efetivo, com Jarosław “pashaBiceps” Jarząbkowski abrindo espaço em meio aos vagões com sua sniper, destruindo as defesas norte-americanas e fechando a metade na frente em 8 x 7.

O pistol e o antieco na segunda parte foi para a Virtus.pro, mas deixou plantar em ambas as rodadas, fazendo comq eu a Cloud 9 já possuísse economia suficiente para um armado, e acabaram vencendo, embolando ainda mais a partida. (10 x 08). Ao passo que a partida ficava mais complicada, Jarosław “pashaBiceps” Jarząbkowski  aparecia cada vez mais para salvar o veterano quinteto, fazendo grandes jogadas, e sendo o líder em eliminação na segunda parte.

A atitude de Pasha e a esquadra como um todo perdurou até o resultado final em 16 x 10, sem dar muitas chances para os visitantes.

Immortals 16 x 06 FlipSid3

Immortals faz história e chega a legends (Foto: HLTV.org)

  • Mapa: Train
  • Destaque: Vito ‘kNgV-‘ Giuseppe

Começando de contra-terrorista, os brasileiros não conseguiram segurar o avanço da F3 no bomb A no pistol round. Porém, forçando pistolas e colete conseguiram fazer o retake do bomb B, ganhando o round e quebrando a economia adversária. Sendo sólido defensivamente, a Immortals venceu o primeiro armado sem deixar o plant acontecer, deixando novamente a FlipSid3 sem economia.

Somente depois de quatro rounds, o time europeu voltou a vencer. Jan ‘wayLander‘ Rahkonen conseguiu um quad kill clutch 1vs3 e levou o round.

Porém, no round seguinte, os brasileiros quebraram a economia da F3 utilizando muito bem um setup de dois AWPs. Usando posições inusitadas, os brasileiros surpreendiam a F3 que ficava sem jogada. Com isso, logo os brasileiros garantiram vitória no round, chegando ao oitavo ponto.

Depois de perder cinco rounds consecutivos, a FlipSid3 decidiu acelerar a jogada para surpreender os brasileiros que acabou dando certo e chegaram a vencer mais três rounds antes de fechar o half. Com isso, a Immortals virou vencendo por 10 a 5.

No segundo pistol da partida, Vito ‘kNgV-‘ Giuseppe encurtou as distâncias no bombsite B, buscou três eliminações e trouxe o round para a Immortals. Depois, os brasileiros conseguiram garantir os dois rounds econômicos da F3, chegando ao 13º ponto.

No primeiro armado, os brasileiros optaram por ficar com as armas que dão menos dando, o que custou o round. No segundo armado, os brasileiros conseguiram fazer uma boa entrada pelo meio da A, fizeram as eliminações rapidamente. Logo, os brasileiros chegaram ao match point.

Sem economia, os players da F3 forçaram as compras mas pouco adiantou. Os brasileiros fecharam em 16 a 6.

Para saber tudo sobre o PGL Major Krakow 2017 visite nosso link de cobertura. Participe do nosso sorteio de adesivos.

Para mais artigos e notícias sobre eSports curta nossa página no Facebook.

Gosta do nosso trabalho? Considere participar de nossa campanha para custear o site, veja informações aqui.