Browse By

CS:GO – Caminho ao Major – HellRaisers

Para o primeiro Major de CS:GO em 2017 preparamos uma série de artigos destacando cada uma das equipes presentes no grande evento que premia $1.000.000,00. O conteúdo abaixo destacará os últimos seis meses do misto europeu da HellRaisers.

HellRaisers

Kirill “ANGE1” Karasiow
Vlаdyslаv “bondik” Nechyporchuk
Martin “STYKO” Styk
Patrik “Zero” Žúdel
Bence “DeadFox” Böröcz

A organização ucraniana da HellRaisers é uma das mais tradicionais do CS:GO, desde o início do jogo contava com bons jogadores e que sempre brigava por títulos nos primeiros anos do jogo. Mesmo nos tempos de Astana Dragons, a organização já se mostrava uma boa casa para bons jogadores, mas acabou caindo de produção e em investimentos nos últimos anos, ocupando assim posições abaixo do que éramos acostumados a ver da tag. Após quase um ano inteiro sem apresentar bons resultados, a organização resolveu reformular sua line-up com jogadores que se destacavam em equipes de menor expressão na Europa, aliando-os com jogadores já experientes e com anos dentro da organização.

Talvez a grande mudança na mentalidade da HellRaisers veio após a contratação de Vlаdyslаv “bondik” Nechyporchuk, que era um dos destaques da FlipSid3 e resolveu encarar o projeto. Martin “STYKO” Styk também surgiu na mesma época, por volta de abril de 2016, para se juntar aos então remanescentes Kirill “ANGE1” Karasiow e Patrik “Zero” Žúdel. A partir daí faltava bem pouco para a equipe se encaixar, e vivia batendo na trave em classificatórios para os grandes torneios. Com a saída do tcheco Tomáš “oskar” Šťastný no meio do ano, a equipe se viu perdida novamente e foi buscar na Hungria um jogador que já havia se destacado a tempos, mas pouca gente realmente dava importância.

Em poucas semanas Bence “DeadFox” Böröcz assumiu o posto de melhor jogador da equipe, puxando a responsabilidades em momentos complicados e exercendo a função de AWP principal. Porém, até então nenhum grande evento se apresentava para que ele mostrasse seu real valor, o que começou a mudar com o minor europeu, onde o misto europeu conseguiu passar fácil e se classificar para o qualificatório principal. Valendo vaga no major, a HellRaisers logo surpreendeu os desavisados e fãs dos mais tradicionais, conseguindo duas vitórias em duas partidas com Bence “DeadFox” Böröcz sendo o destaque geral do torneio até então.

Uma das partidas destacou o AWP, e com total certeza foi para ficar na história da carreira do húngaro. A HellRaisers conseguiu virar a partida no overtime e garantir a classificação inédita com a nova equipe. DeadFox foi o grande destaque conseguindo fechar a partida em 33/19, mais de 1.52 de rating.

O que pode realmente incomodar o misto europeu durante o major é a falta de um largo map pool, já que peca na maioria deles. Na Cobblestone a line-up conseguiu atingir os 80% de vitórias, mas tem cerca de 20% em mapas como Nuke, Mirage e Cache.

Talvez as férias e um bom bootcamp antes do torneio possam ajudar a line-up a se entrosar melhor, já que era um dos problemas durante os meses passados, chegando ao primeiro grande evento de 2017 pronto para surpreender.

A ELEAGUE Major tem início no dia 22 de janeiro com cobertura completa da GCB Games.

Para mais notícias e artigos sobre eSports curta nossa página no Facebook.