Browse By

Análise: Salt & Sancturay

Análise: Salt & Sancturay

8.9

Música

8/10

    Gráficos

    9/10

      Jogabilidade

      9/10

        Diversão

        10/10

          Fator Replay

          10/10

            Pros

            • Dificuldade na dose certa
            • jogabilidade simples e intuitiva
            • Gráficos muito bem elaborados
            • apenas 555 mb
            • Chefes com desing criativos

            Cons

            • Poucas músicas

            RESUMO: qual seria a combinação de um jogo 2D contendo toda a essência de Dark Souls? O resultado é simples: Salt & Sanctuary.

            Contemple um dos maiores jogos indies para o PC

            INTRODUÇÃO

            Grandioso DEUS, salve as indies!!!

            Sim, caros leitores, inicio essa análise com um pedido bastante profícuo em tempos de jogos AAA e seus orçamentos hollywoodianos. A plataforma PC também foi contemplada com um dos melhores jogos side scrolls disponíveis no mercado, utilizando-se da boa e velha fórmula “metroidvania” que ainda esbanja qualidade e originalidade em detrimento ao universo em 3D.

            Salt & Sanctuary é um jogo tão ousado, mas tão ousado, que todo seu esplendor, por mais simples que seja, compete honrosamente com um dos maiores expoentes do imaginário 2D: Castlevania Symphony of the Night. A comparação é absurda até que todos joguem a apreciem todas as virtudes que o jogo indie tem a oferecer.

            Não se engane pelo aspecto simplório dos gráficos: Salt & Sanctuary é o tipo de jogo que todos “quebram a cara” após a primeira partida. O desafio é grande, mas a diversão é absurda!

            SIMPLICIDADE = SUCESSO

            A receita que emana todo o sucesso de Salt & Sanctuary já foi uma das maiores aspirações que as desenvolvedoras do passado utilizaram: simplicidade. A receita é antiga, mas o resultado parece novo: é incrível como um jogo desenvolvido por uma empresa índie pode despertar uma profusão de sentimentos que oscila entre o genial e o inacreditável.

            A beleza do jogo se mede pelo efeito incompreensível de uma pergunta que paira no ar: por que um jogo desse estilo não foi lançado há muito tempo???

            É claro que outros jogos já fazem parte do nosso acervo de grandes títulos: Dust an Elysium Tail (Humble Hearts LLC), com toda sua arquitetura colorida e versátil provou que os jogadores estão carentes por novas fórmulas que mesclam simplicidade e diversão, aliados a bons gráficos (e que gráficos, Dust) que mais despertam atenção que aclamação.

            Nem todos os jogos requerem o mesmo naipe de inovação gráfico que um Crysis exige. Acredite: quando a fórmula de um jogo está atrelada ao gameplay, os gráficos tornam-se um ponto secundário.

            Salt & Sanctuary é um jogo viciante aos olhos por apresentar aspectos que trabalhem mais o emocional que o visual. Os gráficos são bons e muito bem desenhados, pois beleza do seu conteúdo não está no que se vê, mas naquilo que se sente: a direção de arte é tão rústica quanto a essência do jogo, e tudo o que se vê são cenários desoladores que entregam tudo aquilo que o enredo intenta desvendar. Nos tempos atuais ainda é comovente o que os gráficos 2D ainda nos despertam.

            DIALOGAR COM DARK SOULS É PRECISO

            O essencial do jogo é justamente a sua maior fonte de inspiração: Dark Souls.

            SKA Studios soube dosar muito bem o estilo Metrodivania com o estilo Dark Souls. O que resulta disso é uma experiência que soma ainda mais a diversão, levando a crer que estamos diante de um verdadeiro Dark Souls com estilo 2D. Toda a fórmula que consagra a franquia da Fromsoftware está aí: a dificuldade que privilegia a astúcia, os gráficos que entregam um reino à merce da escuridão, as músicas que soam nos embates com os chefes, a jogabilidade que preza o estilo de cada classe.

            Além disso, um dos aspectos mais intrigantes também foi muito bem utilizado em Salt & Sanctuary: os diálogos. Toda a forma de comunicação é utilizada como um mero capricho de subjetividades. Ao mesmo tempo que elas parecem revelar algo importante, a sensação que o jogador obtém é de que nada daquilo vala nada em face a um contexto que parece mais velar pela sobrevivência que pela diplomacia.

            As mensagens contidas nas garrafas são uma verdadeira harmonia com a série Souls, pois elas se assemelham às inscrições talhadas nas terras, como um aviso importante dos fatos. Pena que a mensagem “Cuidado com o Varapal” não está presente em Salt & Sanctuary.

            Outra forma que retrata um diálogo muito próxima está relacionada com os efeitos sonoros. Abra o menu de acesso e ouça os sons de seleção de menu. Acesso o save point e perceba os sons que são emitidos. Armas, esquivas e as respiração do protagonistas: tudo lembra Dark Souls… e isso é uma retratada de forma muito genial.

            Já que estamos falando em Dark Souls, por que não falarmos do assunto que mais desperta atenção: DIFICULDADE.

            os chefes são o suprassumo da criatividade de Salt & Sanctuary. Desde a sua concepção artística ao desafio de sobrepujá-los, estamos diante de um autêntico Dark Souls em 2D.

            O jogo não é nada desbalanceado, mas justo o bastante para premiar aqueles jogadores que se utilizam da estratégia para percorrer um reino desconhecido. Aos marinheiros de primeira viagem, saibam que não é recomendado encarar tudo e a todos como se estivessem jogando um Castlevania ou Super Metroid. A dificuldade de Salt & Sancturay privilegia os mais sábios, aqueles que estão dispostos a enfrentar os inimigos, mesmo os mais simples, com uma cautela que está mais ligada à astúcia que a coragem.

            Em caso de morte, já sabe: seja inteligente o bastante para coletar o sal incorporado ao inimigo, deixando-o mais forte.

            CONCLUSÃO

             Se você for um jogador muito exigente e está esperando o momento certo para jogar Dark Souls III após um bom upgrad de sua máquina, invista seu tempo se entretendo com Salt & Sancturay: por meros 555 megabites de muita, mas muita diversão; um preço convidativo, ainda mais em tempos de crise, por uma bagatela de R$ 33,99; o jogador estará diante de um jogo inesquecível.

            Empunhe suas melhor estratégia e leve sal a terras insípidas e desoladas pela escuridão.