Browse By

Análise – Pro Evolution Soccer 2017

PES 2017

PES 2017
8.4

Jogabilidade

10/10

    Gráficos

    9/10

      Trilha Sonora

      10/10

        Licenciamento

        6/10

          Novidades

          9/10

            Pros

            • Jogabilidade melhorada
            • Trilha Sonora impecável
            • Gráficos melhorados
            • Novidades

            Cons

            • Licenciamento
            • Narração com qualidade ruim
            • Gráfico no PC inferior
            • Licenciamento

            PES 2017

            Os jogos de esporte em geral, ano após ano, correm para fazer melhorias no sistema de jogo, ambiente, trilha sonora, ou até mesmo em coisas de menor significância para o jogador, como os menus mais limpos e práticos.

            Nas suas últimas versões, Pro Evolution Soccer pecou nas melhorias e parecia trazer cada vez mais desilusões para os fãs assíduos da série. A falta de novidades na franquia da Konami, fazia com que muitos jogadores resolvessem deixar o ‘clubismo’ de lado e optar por FIFA ou mesmo se prender a versões mais antigas do jogo.

            Para 2017, a empresa nipônica resolveu assumir externamente os erros das versões passadas e jogar em cima dos problemas. Mas será que dessa vez a Konami acertou o gol?

            Bem amigos do jogo cadenciado

            No ano passado eu já havia cantado a bola de que tanto FIFA como PES apostariam em jogos ainda mais cadenciados para o ano de 2017. A ideia do jogo da Konami de ficar um pouco mais pesado é entendível, mas parece que PES ficou cadenciado demais. Em 2016, você facilmente poderia vencer grandes equipes se possuísse em seu elenco um jogador rápido jogando pelas pontas e um cabeceador, apelar e incentivar cruzamentos à área era a principal arma de jogadores que usufruíam de equipes de menor porte em carreiras de Liga Master, por exemplo.

            DOMINAR PES 2017

            Agora, mesmo que você tenha um velocista, você é barrado por qualquer zagueiro mais robusto, o corpo, pela primeira vez, prevaleceu à velocidade dentro de Pro Evolution. Agora, você terá de criar um pouco mais, tabelar e chegar mais perto do gol, ou mesmo driblar pelo meio e tentar um chute de fora, não será fácil manter os dribles pela ponta e cruzamentos, se você se acostumou com tal estilo de jogo.

            A verdade é que isso dificultou muito a jogabilidade, e realmente era necessário. Qualquer jogador um pouco mais experiente, deixava PES 2016 de lado por sua facilidade, depois de se acostumar com o estilo da partida, era fácil de conseguir goleadas ou placares surreais.

            Goleiros

            A principal falha do jogo no ano passado eram os goleiros. Limitação nos movimentos e estranheza nas defesas. Era feio, para não dizer lamentável, as atuações dos que evitam o gol. A Konami divulgou durante o ano inteiro, que os jogadores da posição receberiam um investimento tremendo, e me obriguei a tirar a dúvida com o próprio gerente da marca nas Américas, Andre Bronzoni durante a BGS desse ano, que me havia confirmado que sim, os goleiros realmente seriam um desafio dentro da partida.

            goleiros pes 2017

            Com essa mentalidade, logo nas minhas primeiras partidas tentei vários chutes de fora da área, dribles na frente do goleiro, cruzamentos que cortavam a área, e realmente os eles chegam a impressionar, não que defendam tudo, mas pela enormidade de movimentos que possuem.

            Isso volta a ser um destaque em PES, é bonito de ver as defesas, por mais que na maioria das vezes é enfeitado até demais. Esse é outro ponto que ajuda na dificuldade da partida, fazendo com que o jogo fique ainda mais complicado de se jogar. Pelo menos para os mais experientes na marca, ponto para a Konami.

            Novidades

            Nas versões antigas de Pro Evolution, ou ainda mesmo na época de Winning Eleven, existia um ‘controlador de ataque’ se é que pode chamar assim. Apertando R2 + a seta para cima, você consegue aumentar o número de jogadores no ataque, com um ícone que fica ao lado do nome dos jogadores no rodapé da tela. É interessante trazer novamente a funcionalidade para o jogo, principalmente quem gosta de encher a grande área durante as bolas paradas, ou quem está perdendo a partida, precisando do resultado, e resolve jogar no tudo ou nada, mas é sempre bom lembrar dos contra-ataques. Na versão 17, parece que a Konami também resolveu dar uma atenção especial para isso, os jogadores controlados pela máquina são muito mais inteligentes em situação de ataque rápido, passam a frente e se posicionam melhor nas jogadas, ficando com maior facilidade cara a cara com nosso goleiro.

            VEJA TAMBÉM  Novo vídeo de Yooka-Laylee mostra multiplayer local

            pes-2017-escanteio-taticas

            Durante o escanteio, na já tradicional tela de instruções no canto superior direito, é possível acionar as estratégias, e pedir com que seus jogadores façam uma fila indiana dentro da área, encham a pequena área, foquem no segundo pau, ou mesmo se espalhem. Nos escanteios contra você também pode dar instruções, como uma marcação mista ou individual.

            Outra novidade fica por conta dos estádios, com o contrato firmado com o Barcelona, a Konami conseguiu um bom trabalho no detalhismo do Camp Nou, fazendo com que os aficionados pelo clube catalão optem pela compra do novo título da franquia.

            barcelona_pes_2017

            Trilha Sonora

            Um show a parte, as músicas de todos os jogos de esporte do mercado acabam sempre agradando ao público. Mesmo que seja por um gosto pessoal, a maioria das músicas acabam se encaixando muito bem nos momentos. Na versão 2017 de PES, a sonoridade não deixa a desejar. Excelentes músicas de artistas nem tão conhecidos contrastam com músicas como Where Are Ü Now  de Skrillex com Justin Bieber. Mais um bom ponto para o título.

            Mais e mais renovações no carro chefe

            A querida Master Liga também recebeu algumas melhorias significantes, agora está um pouco mais controlável seus gastos. Nos anos anteriores, era fácil contratar  um jogador qualquer, por qualquer preço, você não se importava muito com o salário dos mesmos e nem pelo valor que sobraria nos cofres. Agora a Konami voltou a implementar o limite de salário para a equipe. Para gerenciar o clube, agora você terá de controlar dois orçamentos, o de transferências e o de salário, nada que vá colocar você em situação de perigo com as finanças, mas é mais uma adendo para que pareça um pouco mais real o papel de gerenciador.

            master-liga-pes-17

            Agora é possível você saber a função do jogador antes de contratar. Se ele é sinônimo de liderança, se é um astro ou uma estrela futura, ficou mais fácil de contratar um jogador que se encaixe melhor no seu elenco.

            Que beleza!

            Por mais que eu não seja um grande apreciador das narrações brasileiras nos jogos, fiquei realmente empolgado de ver Milton Leite voltando aos games. A substituição da narração de Silvio Luiz já era mais do que pedida pelos fãs, mas não é que tenha melhorada significativamente. A narração brasileira no jogo parece ter sido gravada de forma amadora, com um áudio diferente entre as falas do comentarista Mauro Beting e de Milton Leite, além de por vezes nem um e nem o outro falarem coisa alguma durante a partida, deixando um silencio constrangedor.

            A melhor opção, assim como no ano passado acabei deixando a ideia. É colocar a narração oficial em inglês, a dupla Peter Drury e Jim Beglin chegam para o segundo ano seguido com boas chances de continuarem pela paixão que deixam com todos os fãs da franquia.

            A mesma dor de cabeça ainda maior

            O maior problema de todas as versões de PES foi o licenciamento de jogadores e clubes. Dessa vez o problema é ainda maior, nem mesmo os contratos fixos que a Konami havia conseguido continuaram. Equipes de grande porte nem mesmo tem seus jogadores oficiais, ficando alguns nomes fictícios sem ter lógica alguma de deixa-los por lá.

            pes-2017-licencas

            Isso é um grande problema para qualquer fã da franquia, logicamente a comunidade se apressa com patchs que irão corrigir isso em breve, mas é um grande ponto negativo da empresa nipônica.

            Online

            O modo online também é duramente criticado na versão PC, nada funciona e nunca funciona, exemplo foi em 2015 onde durante um ano inteiro tentamos conectar nos modos online e nada funcionou. Esperamos que a Konami corrija um tanto quanto breve.

            Conclusão

            Ano após ano esperamos por mudanças em Pro Evolution Soccer, para 2017 a Konami investiu pesado em jogabilidade e trouxe um ar de novo para uma franquia que se via em momentos catastróficos com seus erros. O licenciamento de ligas, clubes e jogadores ainda é um problema que se necessita de investimento da empresa, mas ao fim, as inovações para a nova versão do jogo pesa na balança e faz com que a série ainda respire na disputa dos jogos de esporte.

            Leia mais