Browse By

Resumo – ESL One Cologne 2016 – Dia 4

navi

Confira o resumo detalhado dos acontecimentos do quarto dia da ESL One Cologne 2016, o segundo major de CS:GO do ano.

Virtus.pro 2 vs. Astralis

virtus.pro esl one cologne 2016

Virtus.pro 19 x 17 Astralis (Overpass)

A Astralis começou vencendo o pistol, mas logo caiu diante do eco polonês a Virtus.pro ainda venceria outros quatro rounds, até que Janusz “Snax” Pogorzelski entrou em cena com dois varados dignos de banimento, conseguiu fazer o retake 1v2 de AWP e vencer a rodada para sua equipe.(6 x 1). A partir dai Jarosław “pashaBiceps” Jarząbkowski puxou a tec-tec na região do banheiro, posição conhecida por ele com essa arma em majors. O jogador conseguia, mesmo sem eliminar ninguém, deixar vários adversários lesados, facilitando para sua equipe. Quem matava de verdade era o endiabrado Janusz “Snax” Pogorzelski que de AWP quase sempre (para não dizer 100% das vezes) abria o round com uma eliminação sensacional no fundo do bombsite A. (9 x 1).

VP X Astralis - ESL ONE COLOGNE 2016

Round atrás de round perdido fez com que  a Astralis então apelasse para um timeout, que fez efeito na volta com Nicolai “device” Reedtz e Finn “karrigan” Andersen conseguindo duas eliminações e conquistando a rodada para sua equipe. A equipe da Dinamarca ainda venceria outra, antes que os polacos voltassem a vitória, quebrando de vez a economia da Astralis. Lukas “gla1ve” Rossander não queria entregar a vitória, mas após três lindas eliminações, caiu no rufus defuse de Janusz “Snax” Pogorzelski , que apenas sentou e desarmou, acabando com o bom momento do jogador. Ficou tranquilo para a VP levar as rodadas restantes e fechando em expressivos 12 x 03.

O pistol da segunda parte foi novamente para a Astralis com Lukas “gla1ve” Rossander fazendo uma entrada pelo esgoto, levando três jogadores já de dentro do bomb, enquanto Danny “zonic” Sørensen desarmava a C4. A Virtus.pro então via sua vantagem ir caindo aos poucos, com os dinamarqueses melhorando suas defesas, de nada podia fazer o lado terrorista polaco, após uma entrada no bombsite A, todos achavam que enfim voltariam a vencer, ainda mais quando Filip “NEO” Kubski levou dois jogadores era tranquilo para plantar a C4 e fazer o after plant, mas Nicolai “device” Reedtz eliminou Kubski. (12 x 06)

Dessa vez quem estava impossível com a AWP era Finn “karrigan” Andersen, que garantia vários rounds para sua equipe, fazendo encostar cada vez mais no placar. Após o 12 x 10 os poloneses pediram um timeout para se corrigir, e deu certo, na volta coube a Filip “NEO” Kubski e Jarosław “pashaBiceps” Jarząbkowski eliminar dois adversários e garantir a entrada e a vitória no round. Porém, a Astralis voltaria a vencer quebrando a situação econômica da Virtus.pro, que se obrigou a um eco, não tendo tantas chances de vitória. 13 x 12. Os dinamarqueses ainda venceriam outro, empatando e quebrando novamente os polacos. Ficou fácil para passar a frente em 13 x 14. Enfim num armado completo, a VP voltou a vitória colocando alguns jogadores da Astralis num forçado de MAG-7, ela na mão de Danny “zonic” Sørensen fez a eliminação de entrada, complicando a estratégia dos poloneses, e com duas eliminações por parte de Andreas “Xyp9x” Højsleth ficou tranquilo para levarem o round, a situação econômica se inverteu, com a VP do lado forçado, mas a estrela de Jarosław “pashaBiceps” Jarząbkowski brilhou, levando quatro jogadores e garantindo o overtime.

Mesmo do lado terrorista na primeira parte do tempo extra, a Virtus.pro abriu 18 x 15, novamente com Jarosław “pashaBiceps” Jarząbkowski sendo essencial. Com uma entrada no bombsite B, enfim a Astralis venceu, começando a por pressão no match point dos poloneses. Os dinamarqueses ainda venceriam outro, colocando a VP num forçado com três pistolas CZ, uma delas nas mãos de Wiktor “TaZ” Wojtas foi responsável por três eliminações, fechando enfim a partida em 19 x 17.

Virtus.pro 19 x  15 Astralis (Train)

Na train a Astralis começou vencendo o pistol e um dos anti-ecos, mas logo caiu em três rodadas com vitória para os poloneses, voltaram a vencer em outros dois, quebrando a economia da Virtus.pro (3 x 4.) Porém, após isso o jogo virou apenas dinamarquês, com a Astralis vencendo cinco rodadas, abrindo larga vantagem no lado CT do mapa. Lukas “gla1ve” Rossander e Nicolai “device” Reedtz garantiam facilmente os rounds para sua equipe, de nada podia fazer os poloneses com suas entradas manjadas por parte da Astralis, que foi cada vez mais se distanciando na partida e fechando a primeira metade em 04 x 11.

taz vp

Idêntica a primeira metade, a Astralis venceu o pistol e garantiu o primeiro anti-eco, mas Wiktor “TaZ” Wojtas usou de sua CZ para eliminar dois jogadores e vencer a rodada, porém na sequência os dinamarqueses voltaram a vencer, complicando o lado polonês, mas trocando novamente de round, a VP voltou a vitória (06 x 14). Com Jarosław “pashaBiceps” Jarząbkowski brilhando, a Virtus.pro encostava no placar, e após o 09 x 14, a Astralis pediu um timeout tático para tentar organizar suas entradas. Na volta, mais uma rodada para os poloneses, e na sequência um round cheio de trocação parecia que daria a vitória para a Astralis, mas Jarosław “pashaBiceps” Jarząbkowski desarmou em meio a smoke dando ainda mais chances de vitória para sua equipe. Os dinamarqueses conseguiram então outra vitória, chegando no match point, colocando a VP num forçado, mas a rodada mesmo assim foi para os poloneses, dando emoção ao fim da partida. (12 x 15). Após vencer outro, jogaram a Astralis num eco, vencendo também, levaram a partida para o ponto critico 14 x 15. Aí foi a vez de Filip “NEO” Kubski brilhar, levando quatro jogadores e levando a a batalha para o Overtime novamente.

No tempo extra a experiencia polaca se excedeu novamente. Com um setup de três AWP’s venceram os dois primeiros rounds com facilidade, mas no terceiro, após perder duas das três armas tiveram que forçar pistolete em alguns jogadores, mas nada parava a Virtus.pro que levou outro round. (18 x 15).  Na última rodada, uma ótima entra na bombsite A fechou o jogo e garantiu os poloneses na semi-final da competição.

Os polacos voltam amanhã (09) para a semi-final contra os brasileiros da SK Gaming . Confira tudo sobre o torneio em nosso artigo de cobertura.

SK Gaming 2 vs. 0 FlipSid3

sk gaming

SK Gaming 16 x 07 FlipSid3 (Mirage)

Os brasileiros venceram o pistol e os anti-ecos sem ter problema algum, o primeiro armado também foi para a SK, mas que acabou perdendo num round um pouco forçado por parte dos ucranianos. Os comandados por Gabriel “FalleN” Toledo conquistaram outro round, levando a FlipSid3 para outro forçado, que quase fez cair a casa brasileira, mas Epitacio “Taco” Pessoa trouxe a partida de volta com uma bela bala de M4 em Aleksandr “Shara” Gordeev. (6 x 1). Os ucranianos então venceram dois rounds, com Andrey “B1ad3” Gorodenskiy sendo essencial, porém os brasileiros não deixavam que o ímpeto dos adversários se elevasse ainda mais, conquistando rodadas após rodadas e quebrando a economia europeia. Lincoln “fnx” Lau e Tacio “Taco” Pessoa conseguiram 18 eliminações cada na primeira metade, que se encerrou de maneira inusitada com 5 AWP’s e sem grandes problemas em 12 x 03 para os brasucas.

A segunda parte começou novamente tranquila com Lincoln “fnx” Lau eliminando quatro jogadores e dando a  vitória para os brasileiros, na sequência nossos representantes vacilaram no anti-eco, deixando brechas para FlipSid3 voltar pra partida (13 x 04). Se obrigando a fazer um forçado, a SK Gaming até veio bem para o round, mas Yegor “markeloff” Markelov destruiu os brasileiros com quatro eliminações. Os ucranianos vinha bem vencendo rounds em sequência, mas Aleksandr “Shara” Gordeev ficou endiabrado, literalmente, algum problema deve ter acontecido e o jogador girava (sem apologia a cheater) na base TR. Jogando o round com apenas quatro jogadores, a FlipSid3 foi derrotada pelos brasileiros, e não pediram pause e nem backup do round, o que foi estranho para todos. Sem ter dificuldade os brasileiros confirmaram a vitória em 16 x 07.

FalleN

SK  Gaming 19 x 17 FlipSid3 (Nuke)

A FlipSid3 venceu o pistol e os anti-ecos, mas logo na primeira oportunidade a SK venceu facilmente a rodada, mas Yegor “markeloff” Markelov e Georgi “WorldEdit” Yaskin trouxeram a partida de volta par ao lado ucraniano com um lindo duo de AWP, colocando os brasileiros em um forçado, vencido também pelos ucranianos (1 x 5). Os brasileiros então mudaram seu setup colocando dois jogadores pelo lado de fora pra garantir que os adversários não passassem para o metrô. A ideia foi fantástica, e as entradas com sucesso dos ucranianos pararam por aí, com Epitacio “TACO” Pessoa sendo novamente de suma importância, os brasileiros encostaram, e coube a Gabriel “Fallen” Toledo num retake conseguir vencer  1v2 e desarmar a C4 empatando a partida em 6 x 6. Depois foi tranquilo pra os brasucas fecharem o half na frente com 9 x 6.


Na segunda parte quem venceu o pistol foi a SK, com Marcelo “coldzera” David eliminando três adversários. Além disso, os brasileiros confirmaram os anti-ecos não dando chance para o azar com o jogo 12 x 06, se a SK vencesse a rodada na sequência sem muitos problemas, iria colocar a F3 num eco, que provavelmente fecharia a partida, porém quem saiu com a vitória foi os ucranianos, deixando a partida um pouco mais apertada, após isso mais uma entrada falha por parte dos brasileiros colocaram-nos num eco deixando fácil para os europeus encaixarem o nono round. As coisas melhoraram para os brasileiros quando Lincoln “fnx” Lau avançou pelas costas e acabou com dois jogadores, sobrando os brasileiros contra apenas 1 CT, ficando fácil para vencer. (13 x 09). Com a situação financeira complicada, os ucranianos forçaram e Andrey “B1ad3” Gorodenskiy destruiu a SK com duas eliminações de xm1014, fazendo o tempo acabar e nada poderia fazer os brasileiros, Yegor “markeloff” Markelov ainda eliminou os dois jogadores restantes que possuíam armas para guardar, deixando os brasileiros num forçado, que acabou sendo perdido novamente. (13 x 11). Os brasileiros então fizeram um pistolete, onde Lincoln “fnx” Lau avançou pelas costas, eliminou um adversário, mas ficou complicado frente a frente com os ucranianos armados. Após isso, o lado brasuca conseguiu fazer um armado onde Fernando “fer” Alvarenga destruiu as defesas europeias com quatro eliminações.

VEJA TAMBÉM  CS:GO - FlipSid3 conquista o título da DreamHack Open Leipzig 2017

A F3 veio para mais um armado para tentar ganhar uma sobrevida, e conseguiu parar o ímpeto brasuca com duas kills de Georgi “WorldEdit” Yaskin vencendo e encostando totalmente no placar.  (14 x 13). Os brasileiros fizeram um forçado para a rodada na sequência, onde acabaram tirando apenas uma arma dos rivais, deixando os ucranianos empatarem. No momento crucial, com uma excelente entrada de Epitacio “TACO” Pessoa e duas kills por parte de Marcelo “coldzera” David, o Brasil conseguiu o match point, a entrada de Epitacio “TACO” Pessoa se repetiu no último round aniquilando Aleksandr “Shara” Gordeev, o jogador brasileiro ainda mataria outro ucraniano, mas seus companheiros se enrolaram um pouco na cobertura do plant, deixando a F3 conquistar o 15º e levar a partida para o Overtime.

No overtime após uma bagunça no round Jan “wayLander” Rahkonen caiu de frente com os últimos dois brasileiros levou apenas Epitacio “TACO” Pessoa, sobrando Lincoln “fnx” Lau contra Georgi “WorldEdit” Yaskin, o russo errou o tiro de AWP ai não teve como, veio o primeiro ponto mesmo do lado TR no tempo extra. Na sequência frenética, Fernando “fer” Alvarenga enfiou logo três eliminações e Gabriel “Fallen” Toledo conseguiu outras duas, sem ter dificuldade para fazer 17 x 15. Os ucranianos então vieram para um forçado, que iria se complicando para os brasileiros mas a estrela maior de Marcelo “coldzera” David brilhou e brilhou magistralmente para garantir 1v2 e o match point para os brasucas. No que poderia ser o último round os ucranianos deixaram para os últimos segundos, e Andrey “B1ad3” Gorodenskiy levou três jogadores, e depois de muita bagunça sobrou Epitacio “TACO” Pessoa contra Yegor “markeloff” Markelov e o veterano ucraniano garantiu a sobrevida de sua equipe. (18 x 16). A F3 ainda venceria outro round, apertando novamente no placar. Porém os brasileiros não deixaram que um novo overtime se concretizasse, com duas eliminações de Lincoln “fnx” Lau, garantiram o round, a vitória e a vaga na semi.

Liquid 2 vs. 1 Na’Vi

Cm3NZI7UcAAUSFC.jpg large

Na’Vi 16 x 11 Liquid (Train)

A Team Liquid começou muito bem o confronto, venceu o pistol round sem nenhuma morte. A Natus Vincere conseguiu recuperação no round armado. Os americanos voltaram a pontuar após uma falta de atenção com relógio por parte da equipe do leste europeu, porém, no round seguinte à Na´Vi aplicou seu jogo metódico e conquistou o empate. Os americanos viam o adversário abrir curta vantagem, o jeito foi apostar o num setup com duas AWPs, o sucesso foi imediato, a GuardiaN não conseguia suas kills. A Liquid tomou conta do jogo e terminou o half com uma boa jogada (10 a 5).

A Na´Vi, mais agressiva, tratou logo de tirar a desvantagem do placar, venceu o pistol round com uma jogada rápida, os anti-ecos de forma fácil e os armados com excelentes performances individuais. Destaque para Flaime e Guardian, muito precisos ao longo do half. A Liquid quase não conseguia se quer entrar nos bombsites, quando conseguia eram rapidamente esmagadas.

Liquid 12 x 16 Na’Vi (Nuke)

A Liquid começou a Nuke com mais agressividade, Elige e Nitr0 foram eliminados muito rapidamente, mas Hiko acreditou no round e plantou a bomba, a Na´Vi com um retake perfeito e conquista o primeiro round. A Liquid tirou o zero do placar no primeiro armado. Os americanos empataram a partida, colocando equilíbrio na partida. As estrelas de ambas as equipes apareciam constantemente para garantir clutchs rounds, que resultavam em pontos cruciais para suas equipes. No último round da metade, GuardiaN e Edward conseguiram segurar os americanos, deixando a Natus Vincere com uma leve vantagem (8 a 7). Na segunda metade a Liquid mostrou que não seria tão fácil vence-la, esmagou-os no pistol round e nos anti-ecos. A Na´vi não ficava para traz no placar, se aproveitava da experiência de Seized e Edward para voltar ao jogo. Até que Hiko e S1mple começaram a conseguir vencer clutchs atrás de clutchs, levantando a moral dos americanos, que não demoraram muito para fechar a partida.

Na’Vi 06 x 16 Liquid (Cobblestone)

A Liquid continuou na mesma “voltagem” com que fechou o ultimo mapa. A Na´Vi não conseguia clicar, via os americanos abrir os bombsites como se fosse um treino. A Na´Vi só conseguiu sair do zero porque a Liquid se enrolou com o tempo. E eles não paravam, durante o half só cedeu mais dois mapas para os adversários, terminar o half com uma mão na vaga (13 a 2). Antes do início do half, já se notava nos semblantes dos jogadores europeus a decepção e tristeza. No pistol round a Liquid não respeitou a Na´Vi, avançou pelo caminho inverso os estavam os adversários, e de forma muito rápida os eliminaram. A Natus Vincere lutou, e conseguiu mais três rounds, mas foi só, no primeiro armado os americanos trataram de acabar com o jogo.

Fnatic 2 x 0 Gambit

fnatic esl one cologne 2016

16 x 05 (Train)

O primeiro mapa do duelo entre as duas equipes foi a Train, escolha da Gambit. Os russos começaram melhor, vencendo o pistol round e depois conseguindo vencer os dois rounds seguintes. Depois de abrir uma pequena vantagem, a Gambit começou a sofrer com as boas entradas da Fnatic nos dois bombsites. Sofrendo uma virada por seis a quatro.

Depois dessa virada, os russos pediram tempo técnico, que pouco adiantou. A Fnatic venceu todos os rounds restantes do half, vencendo por 11 a 4.

Second half, foi totalmente dominado pelos suecos. Conseguiram ganhar os quatro primeiros rounds ficando com o match point. Chegaram a perder um round, mas não abalaram e fecharam logo depois em 16 a 5.

O show ficou por conta de Freddy ‘KRIMZ‘ Johansson, que chegou a conseguir um ace no first half.

16 x (Cache)

A Cache, começou melhor para a Fnatic. Jogando de terrorista não deixaram a Gambit fazer uma economia boa, tendo que atuar na maioria dos rounds sem armas boas. E para complicar ainda mais a situação dos russos, Olof ‘olofmeister‘ Kajbjer jogou tudo que esperam dele. Vencendo clutchs, fazendo aces e buscando kills inesperadas.

Sem a menor dificuldade, foram para o second half, com a vantagem de 12 a 3. A Fnatic venceu o pistol round, e depois a Gambit tentou forçar em todos os rounds, mas pouco adiantou. Os suecos venceram por 16 a 3.

E esses foram os acontecimentos do quarto dia da ESL One Cologne 2016. Confira tudo sobre o torneio em nosso artigo de cobertura.

Leia mais